segunda-feira, 18 de abril de 2011

25 de Abril sempre
A designada «Revolução dos Cravos» comemora o seu 37.º aniversário. Este ano de 2011, por força da dissolução da Assembleia da República, a efeméride não será assinalada dentro do Palácio de S. Bento, sede da Assembleia. A Celebração oficial decorrerá no Palácio de Belém, sede da Presidência da República.
Nós, os portugueses que vivemos o 25 de Abril, e mesmo os mais jovens que nasceram depois desta data, não podemos, nem devemos, deixar que esta «Revolução» entre no esquecimento colectivo. O fim da ditadura, dos presos políticos, da polícia política, da guerra colonial, e a afirmação de objectivos generosos em prol de todo o povo, são aspectos, entre muitos outros, que devem ser recordados. Isto não obstante alguns erros e exageros cometidos, bem como a adopção de fraseologia utópica de pendor revolucionário que tantas vezes ouvimos e dissemos.
O Forum Abel Varzim teve acesso a 3 comunicados emitidos por trabalhadores do Banco Nacional Ultramarino [clicar para aceder ao .pdf] datados de 1975, em que se defendia a criação do Comité de Defesa da Revolução – CDR e que terminava com uma moção de apoio ao polémico 1.º Ministro, da altura, General Vasco Gonçalves.
A leitura destes documentos ajuda a perceber o «espírito da época». E talvez, descontando alguns exageros, possamos reflectir sobre os caminhos que no nosso «tempo histórico» devam ser trilhados.

Sem comentários:

Enviar um comentário